Sua Empresa, suas Regras!

Implante mecanismos de controle e regras de trabalho. O que engorda o boi é o olho do dono!

A velha máxima "É o olho do dono que engorda o boi" é a constatação, pela experiência popular, de que as atividades humanas visando crescimento e lucro (engordar o boi) só são possíveis se houver fiscalização e controle (olho) de pessoas que assumem a coordenação, a direção do negócio (dono).

A responsabilidade pelo crescimento é, primordialmente, do dono, do gestor do negócio. Isto está longe de ser um peso. Ao contrário, é ótimo, porque se você não está obtendo os resultados que espera depende somente de você, o dono, o gestor, mudar sua maneira de pensar e de agir para conseguir atingir os objetivos desejados.

É frequente, em muitas empresas, um cenário de culpabilização geral. O dono culpa os funcionários por não cumprirem suas obrigações como ele espera e os funcionários se queixam de receber críticas constantes e injustas pelos serviços mal feitos.

Quando nos debruçamos sobre os fatores que estão contribuindo para esta situação nos deparamos, invariavelmente, com a falta de gestão ativa, permanente e detalhada.

E não se encontra culpados. Todos tem suas razões. O dono não tem tempo para acompanhar tudo e espera que os funcionários façam o que deve ser feito. Os funcionários 'acham' isto ou aquilo e fazem como acreditam que está certo. O ambiente acaba conturbado, trazendo frustração, conflitos e perdas para todos.

A responsabilidade é do dono. Veja bem: não é 'culpa' do dono, mas responsabilidade. Esta palavra indica a reflexão: Como eu, o dono, contribuí para construir e contribuo para manter este cenário indesejado?

Algumas das respostas mais prováveis:

  • Apenas tracei linhas gerais para meus funcionários
  • Esperei que eles fizessem o combinado mas não os acompanhei como devia
  • Não defini metas e objetivos nem como medir seu alcance
  • Achava que todos tinham as mesmas competências mas vejo que me enganei
  • Ao invés de organizar, instruir e acompanhar acabo esbravejando e reclamando

É o dono que detém todas as informações sobre a empresa, financeiras, fiscais, trabalhistas, técnicas, que conhece a história da empresa e o que está planejando para o futuro. Não pode esperar que seus funcionários tomem atitudes compatíveis com o que ele sabe se só ele sabe.

Mas administrar uma empresa não é organizar um colegiado. É fundamental que os funcionários compreendam como a posição de cada um contribui com o todo, como cada posto de trabalho se relaciona com os demais, como cada ação individual funciona como um instrumento numa orquestra, mas aos funcionários não cabe tomar decisões que envolvam a empresa como um todo portanto os métodos de trabalho, os objetivos mais gerais, as metas mais imediatas devem ser claramente definidas, informadas, esclarecidas e acompanhadas.

Um bom sistema ERP contém recursos para definição de fluxos de trabalho, acompanhamento de sua execução, verificação de resultados, auditoria de ações e de responsáveis. É ideal que estas informações possam ser fácil e rapidamente verificadas, sem depender da análise de extensos e complexos relatórios. Visões em tabelas e gráficos são as soluções mais adequadas porque você terá que acessá-las frequentemente.

  • Tags
  • Controle
  • Motivação de Funcionários
  • Controle de Acesso
  • Restrição de Dados
  • Gestão
Sobre o autorAlfeu MarcattoDiretor de Tecnologia da Axis Focus Tecnologia do Brasil Ltda

Especialista em desenvolvimento de sistemas de grande porte, domina diversas linguagens de programação e arquiteturas de sistema.